Cooperação

Diante da constante transição do cenário nacional e internacional e da certeza das potencialidades do Brasil e dos demais países da comunidade ibero-americana, reforça-se a ideia sobre a necessidade de ações de cooperação como forma de diminuir as assimetrias existentes nos Poderes Judiciários.

Da mesma forma, o desenvolvimento da cooperação judiciária entre as escolas judiciais e as da magistratura no Brasil é imperativo para enfrentar desafios oriundos das interações entre governos e cidadãos.

Nesse sentido, a Justiça é fundamental como fonte de solução de controvérsias e como instrumento garantidor da igualdade, da cidadania, da democracia e do Estado de Direito.

Assim, o fortalecimento de uma rede judiciária articulada é essencial para a consolidação de boas práticas que beneficiem seus membros.

Conteúdo atualizado em 06/03/2015