Esmam sedia o Módulo 1 do curso Formação de Formadores

Foi aberto, nessa terça-feira (14), na Escola Superior da Magistratura do Maranhão (Esmam), em São Luís, o Módulo 1 do curso Formação de Formadores da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), destinado a magistrados e pedagogos do Judiciário da Região Nordeste 2.

A ação formativa compreende três etapas, todas obrigatórias: a primeira, presencial, ocorre na Esmam até 16 de agosto, com carga de 24 horas-aula; a segunda, ministrada a distância e realizada de 10 de setembro a 16 de outubro, busca examinar a base teórica e a sua aplicação, estruturada em um módulo de 40 horas-aula; e a terceira, realizada em Brasília nos dias 7 e 8 de novembro, com 16 horas-aula, visa a sistematização do processo formativo.

Os conteúdos tratados na primeira fase são: o desenvolvimento da formação de magistrados; a docência no contexto da magistratura; as especificidades do ensino e da aprendizagem; as diretrizes pedagógicas da Enfam; e o processo de ensino orientado para o desenvolvimento de competências.

São mais de 40 participantes, inscritos por suas respectivas escolas judiciais. Os temas serão ministrados pelo desembargador Roberto Portugal Bacellar; pelos magistrados Sara Gama, Carlos Henrique Garcia e Taís Schilling; e pelos pedagogos Liliane Campos e Fernando de Assis Alves.

Na cerimônia de abertura, o desembargador Eladio Lecey, presidente da Comissão de Desenvolvimento Científico e Pedagógico da Enfam, elogiou a organização administrativa e pedagógica da Esmam, e destacou a importância da realização da capacitação nas diversas regiões. “O objetivo é gerar um efeito multiplicador. Ao fomentar parcerias com as demais escolas, buscamos a capacitação de magistrados para que dominem os aspectos pedagógicos da formação profissional dos seus próprios pares”, disse.

Atualmente, 635 profissionais certificados nos cursos de formação de formadores compõem o Banco Nacional de Formadores, e outros 899 estão na fase de atualização cadastral para disponibilizar os dados para consulta. As escolas judiciais e as de magistratura podem utilizar o Banco para selecionar os formadores que atuam nos cursos oficiais de formação e aperfeiçoamento de magistrados.

Para credenciar cursos, as escolas judiciais devem assegurar que, no mínimo, 10% de formados certificados na formação de formadores atuem nos cursos de formação continuada, e 15%, nos de formação inicial.

Veja mais fotos no Flickr da Enfam.

Fonte: Portal do Poder Judiciário do estado do Maranhão, com adaptações.