Calendário do primeiro semestre letivo do Mestrado Enfam está disponível no site

A Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) disponibilizou em sua página o calendário do primeiro semestre letivo de seu Mestrado Profissional. A consulta aos horários, turmas e disciplinas, bem como ao corpo docente e aos grupos de pesquisa, pode ser feita aqui.

Um seminário marcou a abertura do semestre, com a participação do vice-diretor da Enfam, ministro Mauro Campbell Marques, e do coordenador-geral do Programa de Pós-Graduação, ministro Herman Benjamin, além de representantes e convidados da Capes, CNE e professores universitários.

Primeiras aulas

A primeira semana foi marcada por várias atividades, com a criação dos grupos de pesquisa e as primeiras aulas. Estão matriculados nas disciplinas obrigatórias 20 alunos, enquanto 15, entre regulares e especiais, inscreveram-se nas matérias optativas.

Métodos de solução de conflitos, gestão processual e administração judicial foram alguns dos assuntos tratados em aulas proferidas pelos professores Frederico Augusto Leopoldino Koehler, Carlos Henrique Borlido Haddad, Roberto Portugal Bacellar, Adriana Ramos Mello e Fabrício Castagna Lunardi. As aulas de hoje (9), de disciplinas obrigatórias, serão ministradas pelos professores Luiza Vieira Sá de Figueiredo e Roger Raupp Rios. São elas: “Liderança Organizacional e Atividade Judicial” e “Ética e Integridade: Percepção Social da Independência e da Imparcialidade do Magistrado”, respectivamente.

Pesquisas

Serão sete grupos de pesquisa, que iniciarão as atividades em novembro. Neste mês de outubro, os alunos do Mestrado farão a escolha dos grupos dos quais querem participar e será realizado o processo seletivo para pesquisadores: magistrados, servidores e professores externos que se interessem pelos temas: “Ética e Justiça”; “Gestão de Unidades, Redes Organizacionais e Design Organizacional”; “Centros de Inteligência, Precedentes e Demandas Repetitivas”; “Desenvolvimento Sustentável e Impacto das Decisões Judiciais”; “Modelos Autocompositivos, Justiça Restaurativa e Sistema Multiportas”; “Processo Coletivo e Modelos Judiciais Inovadores de Resolução de Conflito”, e “Justiça Digital: Tecnologias Disruptivas e Inteligência Artificial no Direito”.