Eliana Calmon defende que novos juízes conheçam a macropolítica nacional

Para a ministra Eliana Calmon é essencial que novos magistrados conheçam a dinâmica da macropolítica nacional para exercerem sua atividade judicante. A declaração foi feita na abertura do VII Curso de Iniciação Funcional para Magistrados da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados – Ministro Sálvio de Figueiredo (Enfam), instituição dirigida pela magistrada. Nesta edição, que prossegue até o dia 8/11 (sexta), a qualificação reúne 22 juízes recém-empossados no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) e outros 10 do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC).  

A diretora-geral alertou os alunos para o fato de que a magistratura não pode mais atuar isolada e que o papel de agente político do juiz “é uma exigência constitucional”. Eliana Calmon lembrou que a capacitação não um “curso de prática processual”, tendo o objetivo de trazer informações úteis para o dia a dia do julgador. “Teremos, por exemplo, uma palestra sobre o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), um órgão essencial para o combate à lavagem de dinheiro e à corrupção”, destacou.

Por fim, a ministra afirmou ter uma “pontinha de inveja” dos magistrados que iniciam suas carreiras hoje. “Estou perto de encerrar minha carreira e fui muito feliz como juíza. Consegui muito, mas são os magistrados que estão começando hoje que vão mudar a Justiça brasileira”, disse. Para a ministra, hoje a magistratura tem um papel transformador muito importante para a sociedade e deve estar alerta para não se concentrar apenas na quantidade de processos julgados, mas para dar uma resposta efetiva para a população.