Enfam conclui iniciativa inédita para formadores em produção de conteúdo EaD

O curso Introdução ao Desenvolvimento de Conteúdo para EaD contou com a participação de 29 magistrados formadores da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam). A ação educacional foi realizada em formato de oficina, nos dias 20 e 21 de outubro. O juiz Thiago Colnago Cabral, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), considerou relevante a capacitação._ama5268

“A modalidade da Educação a Distância (EaD) exige uma atuação muito específica, muito particular. No que diz respeito à formação em construção de conteúdo, é fundamental a capacitação dos tutores e conteudistas”, afirmou o juiz. 

Desafio

Thiago Colnago ressaltou que, no caso dos tutores, a grande dificuldade é transformar uma docência prévia em conteúdo palatável, fácil de ser construído e acessado na modalidade EaD. “No curso de Execução Penal, do qual participo, tenho essa percepção muito clara. À medida que os tutores foram alcançando uma capacidade melhor, sob o aspecto pedagógico, e à medida que o curso foi se tornando mais adequado a uma plataforma eletrônica, a participação dos magistrados foi aumentando”, observou.

Menor evasão

O juiz formador da Enfam observa que o curso de Execução Penal tinha um índice de evasão relativamente grande em edições anteriores, e a partir de uma remodelagem, houve queda substancial nesse índice e a ação educacional passou a ser oferecida duas vezes por ano, distribuída em 4 turmas de 40 alunos cada.

Efeito multiplicador

“Essa capacitação que a Enfam faz tem também um aspecto multiplicador, pois esse formador que participa da atuação na Enfam replica os conhecimentos adquiridos na sua escola local. Isso dá uma eficiência muito maior para a formação desenvolvida e unifica a qualidade do que é ministrado”, concluiu Thiago.

Ferramenta EaD

Segundo o juiz Ricardo Chimenti, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), a Educação a Distância propicia o debate, por meio de fóruns de discussão, de chats e de outras ferramentas, entre colegas de todo o país. “A EaD oferece a possibilidade de compartilhamento dos métodos de trabalho que têm dado certo, de modo que eles possam, coletivamente, construir saídas para situações difíceis”, considerou.

Quanto à iniciativa de realizar a oficina de produção de conteúdo para EaD, Chimenti ressaltou que considera importante que os magistrados estejam vendo na Enfam o ambiente próprio para construir soluções de seus casos concretos. “É a Escola Nacional servindo de instrumento para que os magistrados possam superar dificuldades e melhorar a prestação dos serviços”, salientou o juiz.

Confira o vídeo produzido pela TV do STJ e exibido na TV Justiça.