Enfam encerra quarta edição do curso das diretrizes pedagógicas

Diretrizes_Rio_junhoO curso teve duração de dois dias e levou os participantes a refletirem sobre as metodologias aplicadas nas escolas judiciais e da magistratura e como elas podem ser adaptadas às diretrizes pedagógicas da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de magistrados (Enfam), que visam à utilização de métodos que primam pela participação dos alunos.

Essa foi a quarta edição do curso promovido pela Enfam e contemplou os magistrados e servidores das escolas judiciais e da magistratura dos estados do Rio de Janeiro (EMERJ), Espírito Santo (EMES), Minas Gerais (EJEF), da Escola da Magistratura Federal da 1ª Região(Esmaf) e da Escola da Magistratura Regional Federal da 2ª Região (Emarf). A Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro, juntamente com a Escola da Magistratura Regional Federal da 2ª Região, foram parceiras da Enfam na realização do curso. Todas as edições contaram com a ministração da Professora Acácia Kuenzer.

Temas

Um tema tratado foi sobre “Princípios Pedagógicos”. No quesito “Teoria e Prática”, Acácia frisou que deve haver uma articulação entre ambos, no sentido de propiciar que os alunos sejam ativos no processo de construção do conhecimento. A professora ressaltou que “prática e atividade não têm o mesmo significado, enquanto uma é algo repetitivo, apenas uma ação que cria/transforma um produto, a outra é mais complexa, pois antecipa a atividade, já que se faz um planejamento antes de executá-la. A prática é o real pensado”, afirmou.

Atividade Prática

Os alunos foram divididos em cinco grupos. A finalidade foi realizar um estudo de caso em que a proposta de curso estava fora dos padrões e dos princípios pedagógicos adotados pela Enfam. A proposta tratou de um curso sobre o novo Código de Processo Civil (CPC). Os grupos puderam reconstruir ou criar novo curso, de acordo com as melhores práticas pedagógicas pregadas pela Enfam, observando os objetivos, a metodologia, o conteúdo programático, a carga horária e o sistema de avaliação.

Encerramento

A professora Acácia encerrou o evento destacando a importância do ensino e dos professores na mudança da sociedade. O diretor-geral da Emarf, desembargador federal Luiz Antonio Soares, ressaltou a importância desse tipo de capacitação para o crescimento pessoal e aperfeiçoamento técnico de todos os juízes e servidores.

Com informações da Assessoria de Comunicação Institucional – TRF2