Enfam convida magistradas e magistrados a participar de pesquisa sobre Covid-19

A Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) convida juízas e juízes de todo o Brasil a participar da Pesquisa Internacional do Sistema Judiciário com Países Lusófonos, para medição da resposta judiciária à pandemia do novo coronavírus. Para isso, basta responder ao formulário neste link .

Realizada pela International Association for Court Administration (IACA), Instituto Brasileiro de Administração do Sistema Judiciário (Ibrajus), Projeto de Apoio à Consolidação do Estado de Direito nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (Palop) e em Timor-Leste (Paced), e Laboratório de Inovação da Justiça Federal de São Paulo – Brasil (iJuspLab), a pesquisa reunirá respostas de magistrados brasileiros e de outros países lusófonos.

O principal objetivo é recolher e disponibilizar dados científicos, de aprendizagem organizacional e compartilhamento de boas práticas entre os Judiciários quanto ao potencial de prestação jurisdicional decorrente das restrições do isolamento social ou lockdown, provocados pelo novo coronavírus e declarada pandemia. Os dados coletados e analisados também podem ser utilizados para a realização de outras pesquisas ou comparativos, bem como para identificar as tendências e novas ferramentas do Judiciário pós-Covid-19.

A primeira fase da pesquisa teve como amostra 38 países, sendo que os respondentes eram associados do IACA, portanto, juízes, servidores, advogados, promotores, entre outros, e o resultado está disponível no link: https://www.jfsp.jus.br/iaca.

Enfam auxiliará na análise dos dados

Um dos grupos de pesquisa do Mestrado da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) contribuirá na organização e posterior análise acadêmica, bem como na divulgação de dados de pesquisa internacional realizada sobre a resposta judiciária à pandemia Covid-19. O grupo tem sua linha de pesquisa voltada a temas de gestão, administração e acesso à Justiça. A coordenação é de Antonio Cesar Bochenek, do Tribunal Federal Regional da 4ª Região (TRF-4) e Elayne da Silva Ramos Cantuária, do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP).