Enfam participa de debates sobre gestão da EaD e suas ferramentas na Enamat

A coordenadora de Ensino e Pesquisa da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), Marizete Oliveira, a professora doutora da Universidade de Brasília Nara Maria Pimentel e o gestor de educação a distância (EaD) da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados do Trabalho (Enamat), José Valmir dos Santos Filho, foram os painelistas desta quarta-feira (17), no Curso de Formação para Gestores de Escolas Judiciais, promovido pela Enamat, sobre o tema “A EaD como instrumento de transformação na educação profissional para agentes públicos”.

Os educadores falaram sobre a educação a distância como instrumento de transformação na educação profissional para agentes públicos e comentaram as experiências das escolas nacionais Enfam e Enamat na EaD.

UnB

A professora Nara Pimentel fez uma abordagem contextual da educação a distância levantando questionamentos sobre como essa modalidade de ensino pode contribuir para redução das desigualdades no país. Abordou ainda, a importância da constituição redes de EaD para criar sinergias com o objetivo de ampliar as ações na formação inicial e continuada.

A professora concluiu sua palestra fazendo exame dos desafios institucionais, em seu entender é necessário repensar modelos pedagógicos – presenciais e a distância como também fomentar a formação continuada para o uso das TIC – Tecnologias da Informação e Comunicação.

Enfam

Marizete Oliveira, coordenadora de Ensino e Pesquisa da Enfam, discorreu sobre a natureza da formação do magistrado, que, segundo ela, tem caráter humanista e interdisciplinar em conformidade com o que estabelecem os normativos da Enfam.

Usando a plataforma Moodle, a modalidade de ensino a distância começou em 2009 com estudo de caso. Desde então, a Escola oferece cursos como Formação de Tutores, Improbidade Administrativa, Gestão Cartorária, Tribunal do Júri, Aspecto do Sistema Penitenciário, Gestão de Pessoas, e um fórum de discussão sobre o novo Código de Processo Civil.

As categorias de formação na Enfam são: Formação Inicial, Formação Continuada e Formação de Formadores. “A Escola traz o contexto da magistratura para a linguagem pedagógica”, explicou Marizete. Segundo ela, no ano de 2012, o Curso de Formadores abriu com apenas uma turma, chegando a oito turmas em 2014 e mais de vinte em 2015. A previsão é de que este ano seja oferecido um total de 17 cursos pela Enfam, com turmas de 30 alunos, com magistrados como conteudistas e tutores, em sua maioria, como já acontece.

A coordenadora discorreu ainda sobre o sistema de gestão da EaD na Escola, através do Planejamento Estratégico, contendo abordagens metodológicas, como a significativa, construtivista, colaborativa e critica-reflexiva.

Enamat

O gestor de educação a distância da Enamat, Valmir Filho, falou sobre a gestão dos cursos a distancia da Escola, destacando que a Equipe de EaD da Enamat é multiprofissional, composta por sete servidores do Tribunal Superior do Trabalho e executa todas as etapas de elaboração de seus cursos.

Em se tratando de planejamento, Valmir explicou que há o levantamento de necessidades, a definição dos objetivos, estabelecimento da carga horária e a identificação da abordagem pedagógica, chegando a seleção de ferramentas e mídias que favoreçam a metodologia e o conteúdo.

Os cursos de Formação Continuada oferecidos pela Enamat já certificaram 3.820 alunos-juízes, e os cursos de Formação de Formadores (para preparar tutores para a própria EaD) certificaram mais 406 alunos-juízes. Num total, a Enamat certificou 4.226 participantes de abril de 2010 a junho de 2015.

Fonte: Com informações da Ascom/Enamat