Enfam promove Curso de Formação de Formadores em parceria com a Escola Superior da Magistratura da Paraíba

A Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) e a Escola Superior da Magistratura da Paraíba (ESMA) promovem Curso de Formação de Formadores, nos dias 13, 14 e 15 de julho, na sede da escola paraibana. O curso foi solicitado pela ESMA diante da necessidade de a referida escola ter que promover, em agosto, Curso de Formação Inicial para magistrados recém-ingressos do Tribunal de Justiça da Paraíba. Os 30 participantes serão orientados para a docência a partir do tema principal “Teoria e Prática do Planejamento de Ensino”.

O curso segue as diretrizes pedagógicas definidas pela Escola Nacional. “Os professores formadores são geralmente magistrados e operadores do Direito. Por esse motivo, precisam de apoio para o desenvolvimento do trabalho docente. Nesse sentido, orientamos o participante a identificar os objetivos, em termos de conhecimentos, que pretende desenvolver com seus alunos e as estratégias que podem ser utilizadas para alcançar esses objetivos, por ocasião da realização da formação a ser desenvolvida no futuro”, destaca Maria Eveline Pinheiro, pedagoga, Mestre em Educação pela Universidade de Brasília (UnB). A pedagoga integra a equipe de formadores da Enfam.

Além de Eveline Pinheiro, também atuarão como formadores da turma da ESMA o desembargador Roberto Portugal Bacellar, do Tribunal de Justiça do Paraná, Mestre em Direito Econômico e Social pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná; e o pedagogo Erisevelton Silva Lima, Doutor em Avaliação pela Universidade de Brasília e Mestre em Educação na área de Política e Administração Educacional pela Universidade Católica de Brasília.

Segundo Eveline Pinheiro, o trabalho com o grupo amplo da ESMA permitirá que o próprio grupo, a partir das reflexões e dos conhecimentos proporcionados nos três dias de curso, possa desenvolver uma ação coletiva na definição da forma de atuação docente voltada para a formação de magistrados. “Vamos partir de situações práticas em sala de aula para que os participantes desenvolvam essas atividades. Com isso, pretendemos trabalhar os conteúdos teóricos, promover reflexões sobre docência e orientar cada um sobre o trabalho de docência e como avaliá-lo”, ressalta a pedagoga.

Nos três dias de curso, serão abordados os seguintes pontos: métodos de ensino e avaliação de aprendizagem; a perspectiva de competências no contexto da formação dos magistrados; objetivos, conteúdos, metodologias e proposta avaliativa na elaboração de planos; oficinas; métodos de ensino e avaliação de aprendizagem; sensibilização do formador magistrado – ressignificação do papel e das práticas; autoavaliação, avaliação do curso e dos formadores.