Enfam realiza curso de Formação de Formadores na EPM

O módulo inicial do curso Formação de Formadores, promovido pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), com o apoio da Escola Paulista da Magistratura (EPM), teve início, nessa terça-feira (6). A ação educacional tem a participação de magistrados e servidores que atuam na formação inicial e no aperfeiçoamento de juízes nas escolas judiciais estaduais e federais da Região Sudeste.

Com a duração de três dias, o módulo consiste de exposições e dinâmicas para discussão de assuntos relacionados ao processo de ensino e aprendizagem, como o planejamento de aula e a análise do trabalho docente a partir de princípios pedagógicos. As diretrizes pedagógicas da Enfam também serão tratadas no curso.

No primeiro dia, foram discutidos os elementos da atividade docente no contexto da magistratura. Na parte da manhã, os debates versaram sobre o tema “O desenvolvimento da formação de magistrados – a docência no contexto da magistratura”, conduzido pela juíza do TRF da 1ª Região Vânila Cardoso André de Moraes, pelo juiz do TJSP José Henrique Torres e pelo pedagogo Erisevelton Silva Lima, formadores da Enfam.

Na abertura dos trabalhos, o presidente da Comissão de Desenvolvimento Científico e Pedagógico da Enfam, desembargador Eladio Luiz da Silva Lecey, destacou a importância da qualificação dos formadores no País, salientando a iniciativa de regionalização das atividades da Enfam para promover maior aproximação com as escolas e com os tribunais, por meio do curso e de reuniões com os diretores das instituições. “Essa troca de experiências nos permite melhorar cada vez mais a nossa atuação”, frisou, informando que existem 300 formadores em atividade, e a meta é ampliar esse número para 500, até o fim do ano.

Vânila de Moraes discorreu sobre a necessidade de uma formação judicial pautada na efetividade e na realização da pacificação social, em especial no atual cenário do País. “As grandes revoluções do mundo só acontecem por meio da educação”, enfatizou.

José Henrique Torres ressaltou que as escolas da magistratura constituem um espaço privilegiado na formação de um magistrado “mais humanizado e preocupado com as questões políticas, sociais e econômicas da realidade em que está inserido”.

Erisevelton Silva Lima refletiu sobre a concepção do modelo de aprendizagem pautado no aluno, diferentemente das pedagogias tradicionais de ensino.

Na sequência, os participantes aprofundaram as discussões com a utilização da técnica Phillips 66, que consiste na divisão da turma em grupos para argumentar sobre determinado tema ou problema pré-estabelecido.

No período da tarde, foi debatido o tema “Especificidades do ensino e da aprendizagem”, com a mediação de José Henrique Torres e Erisevelton Silva Lima.

Curso 

Com três módulos obrigatórios, o curso Formação de Formadores tem o objetivo de desenvolver habilidades e competências docentes para o planejamento e a execução de ações de formação no âmbito da magistratura.

O segundo módulo, focado na sedimentação da base teórica e na sua aplicação, será realizado na modalidade a distância, de 1 a 30 de agosto. O último módulo é direcionado à sistematização do processo e será promovido em Brasília, nos dias 5 e 6 de setembro, reunindo três turmas regionais.

Confira as fotos no Flickr

Fonte: Comunicação Social TJSP – Seção de Imprensa da EPM