Enfam reúne formadores para debater reformulação do Módulo Nacional da Formação Inicial

IMG_0212Com o objetivo de preparar o juiz recém-ingresso na carreira por meio de práticas avançadas, como o desenvolvimento do relacionamento deles com a sociedade e a atuação na conciliação e na mediação, a Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) dá início à reformulação dos temas ministrados a novos juízes. Para isso, reuniu, nesta sexta-feira (20), formadores do Módulo Nacional do Curso de Formação Inicial, em Brasília.

A proposta é, também, estabelecer um caráter ideológico, mais voltado para a ética e o humanismo, para tratar das temáticas. O diretor-geral da Enfam, ministro Humberto Martins, fez a abertura do encontro.

“Os temas se desenvolvem de acordo com os movimentos sociais, especialmente no campo humanístico e sociológico, e temos que caminhar de acordo com essa realidade para transmiti-la aos nossos juízes”, afirmou Humberto Martins, que elogiou o empenho de cada formador na dedicação para o aprimoramento da magistratura. “A Enfam é um trabalho de amor à causa”, concluiu.

O secretário-geral da Enfam, desembargador Fernando Cerqueira Norberto dos Santos, ressaltou a condução do ministro em relação à formação dos magistrados, que vai ao encontro dos novos tempos, e também cumprimentou os formadores pelo comprometimento. “O trabalho dos formadores tem sido de grande valia para a Enfam, por se tratar de um trabalho quase voluntário”, destacou.

Reunião

O objetivo de reelaboração do Módulo Nacional do Curso de Formação Inicial de magistrados abrange os seguintes itens: discutir os princípios orientadores; definir as competências gerais que deverão permear o tratamento dos diferentes temas que constituem os componentes do módulo; revisar e redefinir sugestões para o elenco de temas que podem ser desenvolvidos; desenvolver as competências específicas de cada tema; organizar orientações sobre o desenvolvimento de metodologias de trabalho e formas de avaliação a serem utilizadas.

Etapas

Por meio de uma “sala de reuniões” virtual, os formadores já vinham debatendo a reformulação e apresentando sugestões. O grupo, em geral, avalia o Módulo Nacional como necessário para a formação inicial dos juízes e sua inclusão no contexto do trabalho judicial. Além disso, ressaltam que o curso oferece a possibilidade de o juiz aliar seu conhecimento à prática.

Participantes

Participaram da reunião os formadores: Ana Conceição Barbuda Sanches Guimarães Ferreira/TJBA; Ben-Hur Viza/TJDFT; Flávio Henrique Albuquerque de Freitas/TJAM; José Henrique Rodrigues Torres/TJSP; Marco Antônio Barros Guimarães/TRF1; Marcos de Lima Porta/TJSP; Roberto Portugal Bacellar/TJPR.

Também estiveram presentes as coordenadoras de Planejamento e Avaliação e de Desenvolvimento de Ações Educacionais, Marizete da Silva Oliveira e Celi Canovas Feijó Araujo, além de servidores da equipe pedagógica da Enfam.