Enfam treina servidores e magistrado do Pará no uso de ferramentas para Educação a Distância

A Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) realizou oficina de treinamento a fim de repassar conhecimentos no uso de ferramentas utilizadas em ambiente virtual para realização de cursos a distância (EaD). A Escola Superior da Magistratura (ESM) do Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) foi a segunda a receber a visita de representante da Enfam.

O objetivo é que, a partir da ação, a ESM possa gerenciar sua própria plataforma e oferecer seus cursos a distância. Durante três dias (24 a 26/4), cerca de 30 magistrados e servidores da ESM participaram da oficina.

A coordenadora das atividades em EaD da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), Daniella Cabeceira, realizou o treinamento e explicou que o Ensino a Distância ocorre por meio do ambiente virtual de aprendizagem Moodle, plataforma gratuita utilizada por mais de 200 países ao redor do mundo.

“Em termos de atualidade, o ambiente é muito apropriado. O ensino a distância é uma realidade do nosso cenário educacional. Os órgãos e as instituições públicas precisam utilizar essa modalidade para conseguir estender a educação a um maior número de pessoas, em especial para a formação dos magistrados brasileiros”, observou a instrutora.

O juiz Elder Lisboa, titular da 1ª Vara da Fazenda Pública, participou do treinamento e ressaltou que “o Ensino a Distância não é o futuro, é o presente, em função de uma série de benefícios que traz, principalmente, em relação aos cursos do Tribunal, ou seja, é feito o investimento uma única vez e depois somente as atualizações dos softwares. Evita-se também o deslocamento do magistrado e o prejuízo dos serviços judiciais nas Comarcas”, salientou.

O diretor acadêmico da ESM, Paulo Victor Corrêa, disse que a implementação do sistema de EaD é um dos principais objetivos da gestão do diretor-geral, o desembargador Constantino Augusto Guerreiro. “A realização da oficina, com a vinda de uma especialista da Enfam, é essencial para a capacitação de todos os servidores da Escola para a posterior execução dessa modalidade de ensino”, afirmou Paulo Corrêa.

Segundo a diretora de Ensino e Pesquisa, Patrícia Blagitz, a iniciativa “propicia o domínio teórico e prático do sistema de EaD pelos servidores e magistrados para implementação na ESM e interiorização de suas ações em nosso Estado de dimensões continentais”.

Na avaliação do secretário-geral da ESM, Aníbal Pinheiro, a EaD se configura como uma modalidade de construção do conhecimento em que professores e alunos estão separados fisicamente, e com a utilização da tecnologia para transmissão e recebimento de informações, não há necessidade de um horário, data ou lugar pré-estabelecidos para que a troca de conhecimento possa ocorrer. “Conhecer as melhores práticas desenvolvidas para instituir ao Poder Judiciário estadual, modalidades de pensar em diretrizes para compartilhar conteúdo de cursos a distância, utilizando a plataforma Moodle, por ser gratuita, e utilizada tanto pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) como pela Enfam, buscando assim o aperfeiçoamento e a aprendizagem dos magistrados e servidores no âmbito do Poder Judiciário paraense”, explicou.

A diretora Administrativa e Financeira da Escola, Cilene Anchieta, disse que a EaD pode ser considerada como uma forma de qualificar e expandir conhecimento, uma vez que o Estado é enorme e muitos não conseguem se deslocar até a capital, assim torna-se o meio mais adequado para atingir uma quantidade maior de magistrados e servidores. “Trazer este conhecimento e instrução aos servidores da Escola da Magistratura torna-se fundamental, visto ser o multiplicador dos meios para alcançar o maior número de pessoas na busca do conhecimento e aperfeiçoamento, para aplicação na prestação jurisdicional”, disse.

A importância da EaD para as dimensões continentais do Estado também foi lembrada pelo chefe da Divisão de Ensino e Pesquisa, Alexandre Dias. “As dificuldades de se ministrar cursos de aperfeiçoamento para magistrados e servidores são grandes. Acredito que a utilização desse ensino e tutoria virtual EaD seja de fundamental importância no nosso contexto geográfico para uma constante qualificação dos operadores do direito, possibilitando assim um melhor atendimento ao jurisdicionado paraense”, afirmou.

Para a chefe de editoração da ESM, Andresa Moura, a EaD é a ferramenta da modernidade. “A oficina proporcionará aos servidores o ensino de técnicas essenciais à implementação do EaD”, disse a chefe da Divisão de Cursos e Programação, Iracema Alcântara.

Com informações da Coordenadoria de Imprensa/TJPA