Live com debate sobre jurisdição inovadora já está disponível no Instagram

A transmissão foi um preparativo para as aulas do curso de e especialização “Jurisdição Inovadora para além de 2030”

A Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) realizou, na noite de quarta-feira (29/9), mais uma live no seu perfil do Instagram, desta vez com o tema “Jurisdição Inovadora”. A secretária-geral da escola, juíza federal Cíntia Menezes Brunetta, conversou com o juiz federal auxiliar da Presidência do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) e coordenador de Inovação da Justiça Federal no Rio Grande do Norte, Marco Bruno Miranda Clementino.

O convidado foi recentemente indicado como finalista do Prêmio de Inovação Judiciário Exponencial, que objetiva reconhecer e incentivar as iniciativas e projetos inovadores nos setores tecnológicos, de gestão e de novas metodologias no âmbito do ecossistema de Justiça.

A live foi um preparativo para o curso de especialização “Jurisdição Inovadora para além de 2030”. O curso é uma parceria entre a Enfam, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que instituiu a “Política de Gestão da Inovação no âmbito do Poder Judiciário”, disciplinada pela Resolução CNJ n. 395, de 7 de junho de 2021, e o Centro de Estudos Judiciários do Conselho da Justiça Federal.

Veja mais informações sobre o curso aqui.

Live

A live foi iniciada com o relato do juiz federal sobre o caminho que o levou às inovações dentro do Judiciário, passando pelas oportunidades que surgiram durante sua trajetória até chegar à apresentação dos propósitos do curso da especialização, na qual atua como coordenador do eixo de “inovação”.

O magistrado enfatizou que cada unidade jurisdicional é um imenso e fantástico laboratório para inovação dentro da Justiça. Segundo ele, só é preciso compreender como se faz, na perspectiva de que inovação é um grande aprendizado, a partir de um método que oferece ambiente de segurança e de governança. “O propósito da especialização é oferecer este ambiente para que as pessoas compreendam que a inovação é possível dentro da Justiça”, sintetizou o coordenador.

A inovação deixou de ser um eixo estanque e passou para uma perspectiva transversal. O juiz Marco Bruno conta que o planejamento do curso foi desenvolvido a várias mãos: “Percebemos que nosso objetivo é desenvolver a capacidade nas pessoas de inovar a partir de determinados valores, que também serão trabalhados na especialização, e fazer com que as pessoas mergulhem no propósito que queremos para o nosso mundo”.

A especialização está estruturada em três eixos:

• Inovação: espaço onde serão tratados os aspectos institucionais e teóricos da inovação, a Justiça como serviço e as novidades tecnológicas aplicadas à Justiça;
• Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS): espaço reservado para trabalhar uma lista de temas dos ODS em um módulo humanizado e de jurisdição;
• Ateliês: este eixo foi dividido em quatro ateliês gerais e obrigatórios de 30 horas, onde serão tratados os temas: “Qual será o Poder Judiciário de 2030”; “Quem será o juiz ou a juíza de 2030 (capacitação e habilidades)”; “Qual será o processo judiciário de 2030”; e, por fim, “A negociação” e um ateliê temático, dentre os 10 sugeridos.

Veja a íntegra da live aqui.

Inscrições:

Atenção! Os interessados em se inscrever na especialização “Jurisdição inovadora para além de 2030” têm até domingo, dia 3 de outubro, para registrar seu pedido de participação. Clique aqui e não perca esta oportunidade!

Serão duas turmas, cada uma com 40 vagas. O público-alvo são magistrados(as) e servidores(as) das Justiças Federal, Estadual, do Trabalho, Militar da União; além de servidores do Supremo Tribunal Federal (STF), do Superior Tribunal de Justiça (STJ), do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Conselho da Justiça Federal (CJF) e das Justiças Federal, Estadual, do Trabalho, Militar da União e Eleitoral, considerando a diversidade de gênero e a Política de Ações Afirmativas da Enfam.

Atenção: o processo seletivo (link de inscrição acima) é tão-somente para os representantes da Justiça Estadual e Federal. Os representantes das Justiças do Trabalho, Eleitoral e Militar da União devem procurar a presidência do TST, TSE e STM para informar do interesse.

Modalidade

O curso será realizado na modalidade híbrida (EaD e presencial), com momentos síncronos, que podem ser remotos ou presenciais, e assíncronos, utilizando-se de metodologias ativas, conforme diretrizes da Enfam.

Dúvidas e sugestões devem ser enviadas para: especializacao@enfam.jus.br.