Magistrados concluem Módulo 1 do Curso de Formação de Formadores em Brasília

O Módulo 1 do Curso de Formação de Formadores, realizado pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), foi concluído, nesta sexta-feira (1º), em Brasília. Os 30 participantes avaliaram a experiência de cinco dias de capacitação no novo formato, resultado da reestruturação do Programa de Formação de Formadores.

IMG_5338A reestruturação do curso, que decorreu de estudos desenvolvidos pela equipe técnica da Enfam com a contribuição das demais escolas de formação de magistrados, está sendo avaliada pela Comissão de Desenvolvimento Científico e Pedagógico da Enfam. A Formação de Formadores teve sua carga horária aumentada de 40 para 100 horas-aula, distribuídas em dois módulos de 40 horas cada e mais 20 horas destinadas à atividade orientada, que consiste no planejamento e no desenvolvimento de ação formativa organizada com base no trabalho realizado no Módulo 1. Esta ação será desenvolvida com interlocução de um formador mais experiente sob a coordenação da Enfam.

No encerramento, os magistrados alunos participaram do processo avaliativo do primeiro módulo a partir de três perspectivas: a avaliação da aprendizagem, a avaliação do formador e a avaliação do curso. Para a coordenadora de Planejamento e Avaliação de Ações Pedagógicas, Marizete Oliveira, “articulando equipes pedagógicas e formadores que são magistrados, o Curso de Formação de Formadores desenvolvido pela Enfam constitui-se como uma ação estratégica para melhoria da qualidade da formação profissional da magistratura”.

Segundo a coordenadora, a implementação da proposta de formação de formadores no âmbito da Enfam e das demais instituições de formação de magistrados surge da necessidade de se promover o desenvolvimento do saber profissional para a docência a partir da prática, da perspectiva da educação permanente e participativa, considerando o contexto em que atuam os magistrados, as necessidades e o protagonismo dos formadores, que são “sensibilizados quanto à relevância do seu papel como agente de mudanças, principalmente durante a formação de seus pares em cursos de formação inicial e continuada. Traz a ética e o humanismo como eixos transversais da formação”.