Magistrados e servidores do Judiciário paulista têm ampla participação em atividades de aperfeiçoamento da EPM

Visando o aprimoramento constante da prestação jurisdicional ao cidadão, os desembargadores, juízes e funcionários do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo tem se dedicado cada vez mais às atividades de aperfeiçoamento funcional, frequentando cursos e eventos diversos, além de atuar como docentes.

De janeiro de 2012 a julho de 2013, 2.808 magistrados participaram dos cursos e eventos promovidos pela Escola Paulista da Magistratura (EPM). Foram 108 desembargadores e 2.700 juízes, incluindo magistrados dos Estados conveniados com a EPM.

Em relação aos servidores, 3.082 participaram dos cursos e eventos da Escola de agosto de 2012 a julho de 2013, período em que decretada, pelo presidente do Tribunal de Justiça, Ivan Sartori, e pelo diretor da EPM, desembargador Armando Toledo, a gratuidade nos cursos da Escola para todos os funcionários do Judiciário paulista (apenas no primeiro semestre de 2013, já foram 2.183).

Diversidade de temas

Para garantir oportunidades de aperfeiçoamento para magistrados e servidores de todo o Estado, a Escola tem ampliado constantemente o número de cursos e a diversidade de temas: de janeiro de 2012 a julho de 2013, foram promovidos220 cursos e eventos (137 em 2012 e 83 em 2013), sendo que alguns são abertos à comunidade jurídica e a profissionais de outras áreas de atuação.

Tais cursos compreendem a pós-graduação lato sensu, na capital e no interior (11 cursos em 2012 e 11 em 2013); a extensão universitária (9 cursos em 2012 e 8 em 2013); e os cursos de formação inicial e de aperfeiçoamento/merecimento, cursos rápidos, seminários, palestras, ciclos de palestras, fóruns e núcleos de estudos avançados: 117 em 2012 (62 na capital e 55 no interior) e 64 em 2013 (45 na capital e 19 no interior).

Corpo docente

É tradição da EPM contar com renomados magistrados em seu corpo docente, que atualmente possui 77 desembargadores e 171 juízes do Tribunal de Justiça de São Paulo. Esses dedicados magistrados atuam como coordenadores de área, professores coordenadores, professores assistentes e monitores dos cursos da Escola.

É importante ressaltar que inúmeros foram os testemunhos dos desembargadores e juízes paulistas convidados a integrar o corpo docente da Escola que, devido à enorme carga de trabalho e a outros compromissos, se declararam impedidos de colaborar, ao menos àquele momento.

De qualquer forma, permanece o convite da Escola, que se estende a todos os magistrados do Judiciário paulista, reafirmando o principal lema da EPM: “A Escola de Todos Nós”.