Ministro Cesar Rocha abre novo encontro de diretores de escolas da magistratura e apresenta texto final do modelo pedagógico

Diretor-geral da Enfam, o ministro Cesar Asfor Rocha abre amanhã, dia 19, às 14 horas, mais um Encontro de Diretores e Coordenadores Pedagógicos das Escolas da Magistratura, o primeiro deste ano e o quarto de sua gestão. Na oportunidade, os conselheiros Germana de Oliveira Moraes (TRF5) e Marcos Alaor Diniz Grangeia (TJRO), além de Francisco Paulo Soares Lopes, secretário da Escola, coordenarão a apresentação final do modelo pedagógico da Enfam e das direterizes curriculares para formação de formadores. O encontro terá participação de diretores e coordenadores de 32 escolas estaduais e federais de magistratura e será realizado na Sala de Conferências do Superior Tribunal de Justiça.

Às 19 horas, no mesmo local, o ministro Cesar Rocha abre oficialmente o XXVII Encontro do Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais da Magistratura (Copedem), com o tema Reforma do Código Penal. Nos dias 20 e 21, a reunião do Copedem será transferida para o Centro de Eventos e Convenções do complexo Brasil XXI, na região central de Brasília. Principal conferencista do encontro, o ministro Gilson Dipp, do STJ, falará, às 14h30 do dia 20, sobre as sugestões de modificações já apresentadas ao CP e sobre a nova redação da Resolução 126, do Conselho Nacional de Justiça. O ministro Gilson Dipp é vice-diretor da Enfam e presidente da Comissão de Reforma do Código Penal.

Antes da palestra do ministro Gilson Dipp, estão previstas conferências relativas ao atual estágio educacional da Enfam, Prêmio Inovare, segurança de magistrados com base na experiência colombiana e formação e aperfeiçoamento de magistrados. Os integrantes do Copedem também devem começar a discutir a possibilidade de inclusão de programas de cotas e bolsas para a comunidade negra carente e para os índios nas escolas da magistratura estaduais e federais. Encaminhada pela ONG Educação e Cidadania de Afrodescendentes e Carentes (Educafro), Proposta nesse sentido foi recebida e aceita mês passado pelo ministro Cesar Asfor Rocha.