Parcerias com escolas estaduais e federais permitem à Enfam ofertar mais de 53 mil vagas em cursos para magistrados

Criada com o objetivo de oficializar diretrizes para formação e aperfeiçoamento dos juízes, bem como para fomentar pesquisas, estudos e debates sobre temas relevantes para o aprimoramento dos serviços judiciários e da prestação jurisdicional, a Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados credenciou, de setembro de 2010 até hoje, 563 cursos, contra 368 contabilizados na coleta do fim de 2011. Nesse período, que corresponde à gestão do ministro Cesar Asfor Rocha, os dados revelam que, sempre em parceria com as 32 escolas federais e estaduais, foram oferecidas 53.272 vagas em cursos diversos e quase 22,6 mil horas de aula.

Os números de dezembro do ano passado apontaram 35.132 vagas e aproximadamente 14,5 mil horas de aula. As estatísticas comprovam expectativa do ministro Cesar Rocha de aumento mínimo de 15% nos valores de 2011. Elaborados e ofertados exclusivamente pela Enfam, já estão rodando os cursos de Gestão de Varas Criminais, Gestão Financeiro-Orçamentária e Planejamento Estratégico, incluídos na lista dos mais requisitados pelos juízes brasileiros ao longo de 2010 e 2011. Juntos, somente esses três cursos encerraram 2011 com mais de mil participantes.

Nas reuniões internas, o diretor da Enfam sempre elogiou as parcerias com as escolas e a preocupação das lideranças do Judiciário com a necessidade de formar e aperfeiçoar magistrados para o trabalho de julgar questões que envolvem os mais preciosos bens do ser humano: a vida, a liberdade, a saúde e a educação. Com relação às parcerias, destaca a que foi assinada com a Escola Judicial da Costa Rica e que vem permitindo o intercâmbio e a capacitação dos magistrados brasileiros com videoconferências semanais e sobre temas variados. Até hoje, já foram realizadas mais de 40 videoaulas entre a Enfam e juízes da Costa Rica, Honduras, Panamá, Nicarágua, El Salvador e Peru.